Notícia

MicBR deve movimentar mais de US$ 10 milhões em negócios

MicBR deve movimentar mais de US$ 10 milhões em negócios

quinta, 08 de novembro 2018
Rodadas de negócios reúnem, até esta sexta (9), cerca de 400 compradores e vendedores de 25 países

Em São Paulo, no salão do Club Homs, um burburinho misturava espanhol, inglês, português e italiano. Algumas pessoas carregavam acessórios de moda, outras brochuras sobre seus negócios e cartões de visitas para não perder contato com novos conhecidos. Isso porque, até a próxima sexta-feira (9), cerca de 400 compradores e vendedores de 25 países, que trabalham em 10 diferentes áreas da economia criativa, participam das rodadas de negócios do Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR), megaevento de economia criativa promovido pelo Ministério da Cultura (MinC) e pela Apex-Brasil. A expectativa é que sejam movimentados, até esta sexta-feira (9), mais de US$ 10 milhões em negócios.

A uruguaia Agnez Lenoble, que produz joias artesanais com materiais rústicos e naturais, é um dos empreendedores presentes ao evento. “É a primeira vez que participo de uma feira assim. Estamos com plano de exportação para a marca e queria, com o MicBR, mostrar o meu produto e vendê-lo para outros países”, conta. “Nas reuniões que já tive, fiz contato com um comprador americano que mostrou muito interesse”, conta. 

Assim como Agnez, Luis Albong, mágico chileno e diretor de Imaginário e da Fundação Nata Mágica, busca estreitar laços com colegas sul-americanos. “Para mim, a participação no MicBR é muito positiva, porque tornamos visíveis nossos projetos e criamos redes a nível internacional”, afirma. A iniciativa de de Albong une ilusionismo, tecnologia e e educação. Por meio dela, são produzidos festivais com entrada gratuita em diversos espaços culturais chilenos, além de comunidades carentes e albergues. 

Já Isadora Pilar, da produtora Verte Filmes, de Porto Alegre (RS), aproveitou as rodadas de negócios para abrir um “espaço de conexão” com outras produtoras. “Com as reuniões, abrimos diálogo para futuras coproduções com outros países ”, explicou. “É surpreendente como esses sistemas de rodadas foi eficaz, já saí de lá com contatos do Chile e do Peru”, elogia. 

O setor de música também foi contemplado nas rodadas de negócios. Para Luis Loaiza, diretor colombiano da Zambo Producciones, empresa que representa artistas e produz festivais, é a oportunidade de buscar espaços para apresentações de seus músicos. 

O uruguaio José Jesus Goniz, que trabalha com a plataforma Musica del Sur, que representa artistas da América do Sul, também aproveitou o evento para impulsionar os negócios. “Queremos criar um catálogo com artistas do continente. Eu me reuni com pessoas do Brasil, Argentina, Chile e Colômbia e foi ótimo, avançamos bastante”, comemorou.

Para o paraguaio Oscar Binaghi, gerente comercial da Libreria Intercontinental do Paraguai, o objetivo é aproximar os editores de materiais bibliográficos para colocá-los em contato com livrarias paraguaias. “Estou gostando bastante, tem sido positivo”, resumiu. 

Design italiano

Quem também esteve presente no Club Homs durante as rodadas de negócios foi o designer italiano Alex Terzariol, membro executivo da Associação Italiana de Design (ADI), em Milão. Em palestra no MicBR nesta quinta-feira, ele falará sobre a influência da paisagem de vilarejos da Itália para a criatividade.

Terzariol defende a integração entre cultura e economia e acredita que negócios devem entender a importância da criatividade. “Acho que o MicBR é um evento importante não apenas por criar oportunidade, estreitar laços entre as regiões, mas também é uma chance de mais e mais pessoas entenderem a importância das indústrias culturais”, afirma. 

Em relação ao design, explica que os tempos mudaram e passaram da produção em massa para uma criação mais exclusiva, o que aumenta a competitividade e mantém o processo produtivo na Europa. “É preciso criar com novos materiais e estar atento às novas tecnologias. O designer precisa ter um olhar para as inovações, mudanças de comportamentos da sociedade e para o futuro”, conclui.

MicBR

O Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR), promovido pelo Ministério da Cultura (MinC) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ocorre até 11 de novembro, em São Paulo. O megaevento reúne milhares de empreendedores brasileiros e de sete países sul-americanos em atividades de capacitação, rodadas de negócios e apresentações artístico-comerciais, além de um público geral de aproximadamente 30 mil pessoas. Dez áreas da produção cultural estarão envolvidas: artes cênicas, audiovisual, animação e jogos eletrônicos, design, moda, editorial, música, museus e patrimônio, artes visuais e gastronomia.