Notícia

Analista de realidade virtual diz que mercado brasileiro já representa US$ 250 milhões
Clifton Dawson, da Greenlight Insight, defendeu parcerias para ampliar mercado de realidade virtual no Brasil - Crédito: Produtora Nova Ideia

Analista de realidade virtual diz que mercado brasileiro já representa US$ 250 milhões

sexta, 09 de novembro 2018
"Precisamos abrir portas para negócios menores", disse Clifton Dawson, da Greenlight Insight
Um mercado que poderá crescer até dez vezes nos próximos cinco anos vem ganhando espaço em projetos e serviços de grandes empresas no Brasil. O uso de realidade virtual já representa um mercado de US$ 250 milhões no País, e deve alcançar o mesmo faturamento do segmento de tecnologia até 2022, segundo o empresário Clifton Dawson, fundador da Greenlight Insight, focada em pesquisa e análise no setor global de realidade virtual e inteligência de mercado. ”A tecnologia no Brasil tem um papel importante, precisamos aproveitar esta oportunidade para criar novos modelos de negócio na indústria criativa", disse Dawson. 

Durante a palestra "Construindo parcerias para o mercado global de XR", na programação do Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBr) na sexta-feira (9), o executivo citou exemplos de empresas brasileiras de grande porte que apostaram na nova tecnologia. Para empresas pequenas, no entanto, ele diz que o caminho ainda é longo. “Precisamos aproveitar o momento tecnológico para trazer mais pessoas para esta indústria e abrir portas para negócios menores”, afirmou. 

O segredo, segundo Dawson, é encontrar parceiros, tanto públicos quanto privados. "O futuro da realidade virtual está conectado pela internet e na forma como interagimos com as pessoas, e isso é o mercado criativo.” O executivo diz que, além dos avanços tecnológicos, é necessário que as pessoas se reinventem e criem novas formas de fazer negócios que possam atender ao novo modelo de indústria. “Usar a criatividade é essencial neste setor que ainda é dispendioso”, concluiu.